(27) 3227-6767 contato@cdmec.com.br

Renovação do trecho ferroviário da FCA-Ferrovia Centro Atlântico

O conselheiro do CDMEC do Sr. Durval Vieira de Freitas, representou o CDMEC e a FINDES na audiência pública 12/2020 realizada hoje pela ANTT, sobre a renovação do trecho ferroviário da FCA-Ferrovia Centro Atlântico, que compõe o corredor centro-leste, abastecendo os portos capixabas.

Durval vieira se posicionou informando compreender que as decisões de investimentos em infraestruturas no Brasil seguem a análise técnica e os melhores e mais atuais critérios de planejamento de investimentos para trazer o máximo benefício para a logística nacional.

Informou ainda que, a renovação da concessão da FCA impacta diretamente a indústria de base capixaba. Desde 1996, estamos trabalhando para melhoria do corredor centro-leste, visando a integração com os estados de MG, GO, MT, TO e DF, em especial, na exportação dos produtos agrícolas e da indústria, e também, na importação de produtos e insumos.

Justificou que, após avaliação dos documentos da audiência, observamos pontos para os quais gostaríamos da análise pela ANTT, tais como:

– Demanda de transporte atual e projetada para todo o período de concessão precisa considerar as bases mais atuais de dados do próprio Governo Federal, que trazem cenários muito promissores de transporte ferroviário e que tem enorme potencial de captação pela ferrovia, em especial no Corredor Centro-leste;

– Os investimentos portuários no estado, que se conectam aos corredores ferroviários, com base nos compromissos privados assumidos junto ao Governo Federal e todo o esforço de maior participação privada de investimentos portuários, destacando a desestatização CODESA , cuja audiência está ocorrendo hoje;

– Análise da capacidade ferroviária, em alinhamento com a demanda citada, também precisa ser ajustada, já que o potencial de demanda captada exigirá investimentos de ampliação da capacidade que trarão reduções de custos logísticos para toda a cadeia produtiva na área de influência deste corredor;

– Considerando as melhores práticas de planejamento, deve-se avaliar o potencial máximo de capacidade das infraestruturas existentes, como é o caso de todo o trecho que compõe o Corredor Centro-leste, pois assim tem-se o máximo ganho para todos os recursos disponíveis de infraestrutura, principalmente em um momento em que os recursos para investimentos são tão escassos no país.

Finalizou sua defesa informando que o estado do ES e a indústria capixaba são referências na economia nacional, trabalhamos focado na melhoria contínua e buscando o aumento da competividade brasileira. Durval Vieira se colocou à disposição da ANTT para debater os pontos apresentados.

O CDMEC agradece a sua representatividade na audiência!

“Juntos somos mais fortes e vamos mais longe”

 

Abrir chat
Precisa de ajuda?